Fernanda Bastos | Arquitetura Corporativa | Downsizing
15795
post-template-default,single,single-post,postid-15795,single-format-standard,mltlngg-pt_BR,ajax_updown,page_not_loaded,,transparent_content,qode-theme-ver-10.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive

Downsizing

Downsizing

Home Office, flexibilização das leis trabalhistas…por mais que as possibilidades estivessem aparecendo, adotar novas práticas nas rotinas de trabalho requer investimento no que diz respeito a implantação de ferramentas para gestão digital.

Neste momento de pandemia – a necessidade bateu na porta.

Passado o susto, nossos gestores já terão feito (na marra!) o gerenciamento de suas equipes remotamente, já terão economizado algum dinheiro em seus custos fixos (luz, água, internet, manutenção)… a confiança para a mudança estará em um outro patamar.

Nos anos 70, o conceito “Downsizing” apareceu nos EUA como uma tentativa de reestruturação das empresas – afim de diminuir gastos e desburocratizar processos administrativos – aumentando a sua eficiência e competitividade.

Por mais que o momento seja tenso e até apareçam questionamentos sobre o fim dos escritórios – como reportagem da ArchDaily desta semana – o processo de adaptação requer uma análise mais profunda quanto a necessidade de socialização e os impactos que o isolamento causa nos indivíduos.

Apostar no meio termo é sempre mais prudente. Reestruturar a operação de forma que possamos aproveitar o melhor dos mundos (flexibilidade x redução de custos x eficiência), pode ser fator fundamental para sobrevivência neste momento.

É o Downsizing 2020.